quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Alguns estandes...

Na manhã de hoje transmitimos ao vivo alguns estandes. Entre eles, o da PenzSaur.



O da John Deere, é claro.



E o da Makita. Aliás, makita é sinônimo de serra mármore. E para quem não sabe, também tem uma linha completa de serras, motoserras e equipamentos para jardinagem e florestas.

O André e o Lafayete nos receberam no estande que foi montado em parceria com a Casa das Furadeiras, representante da marca em Curitiba-PR.



Nossa participação...

A Painel Florestal, mais uma vez, está presente em um grande evento. Nos orgulhamos do nosso trabalho. Aliás, três coisas fazem parte da nossa conduta: motivação, responsabilidade e dedicação.

Estamos produzindo muitas reportagens que, depois, levarão conhecimento e informação através do nosso portal e do programa de tv.

Hoje, vamos transmitir a ExpoForest direto dos maiores estandes mostrando as novidades, os visitantes e os diretores das grandes empresas.

A organização do evento está satisfeita com a nossa participação. De fato, conseguimos ampliar muito o alcance de feiras, seminários, congressos, enfim, qualquer evento florestal.

Algo que fazemos com orgulho. Somos pioneiros e temos certeza que há muito valor nisso.



Uma imagem do nosso pequeno estande. Nossa base. De onde atualizamos o portal, o blog e também onde estamos recebendo clientes, amigos e visitantes.

Bem, vamos ao trabalho...

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Encontro de amigos...

Associações coletivas e empresas da Abraf (Associação Brasileira de Empresas Produtoras de Florestas) estão reunidas em Curitiba (PR). Na pauta, a situação do setor florestal em cada região do país e as ações da Câmara Setorial de Silvicultura.



No início dessa manhã, nós da Painel Florestal, participamos da reunião e aproveitamos para apresentar o programa de tv.

As discussões continuam durante o dia todo. No início da noite, o presidente da Abraf, Fernando Henrique da Fonseca abre o Seminário de Colheita Florestal que também faz parte da ExpoForest.



A palestra do presidente da Abraf será transmitida ao vivo através do nosso portal.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Direto da Expoforest...

Mais uma vez a Painel Florestal está presente em uma grande evento. Dessa vez, viemos com a força máxima. Cobertura para o programa de tv, cobertura para o portal, cobertura para o blog, transmissão ao vivo.

Aliás, na sexta-feira à noite, vamos transmitir, na íntegra, o pronunciamento de encerramento da Semana Florestal Brasileira com o Ministro Reinhold Stephanes.

Compartilho duas fotos do estande da John Deere. Estamos revendo amigos e fazendo novos.





A feira está bem organizada. Os eventos técnicos estão agradando.

Arrisco a antecipar o final. Mesmo com tanta crise, o setor florestal continua mostrando sua força e a Expoforest será um sucesso.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Semana Florestal Brasileira!!


Estamos em Curitiba (PR). A Semana Florestal Brasileira reúne eventos técnicos, reuniões e uma feira de equipamentos. Empresários, acadêmicos, professores, prestadores de serviço e até a classe política devem passar pelo pavilhão de exposições durante essa semana.

Esperamos responder algumas perguntas ao final dela. Como a crise econômica vai impactar nesse setor? Quais são as expectativas para o próximo ano? Como as empresas estão se reordenando diante desse cenário?

O evento também será uma boa oportunidade para atualização profissional.

A Painel Florestal, mais uma vez, está com sua equipe em um grande evento do setor. A partir de amanhã, transmite ao vivo, flashes da Expoforest.

Até lá!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Boa vontade: governo do MS reduz pauta fiscal para carvão vegetal

No Brasil um dos setores mais atingidos pela crise econômica, sem dúvida nenhuma, é o siderúrgico. Os Estados Unidos pararam de comprar o ferro gusa brasileiro.

As exportações para outros países enfraqueceram. O consumo interno vai de mal a pior. Em Minas Gerais, estima-se que mais da metade dos alto-fornos estejam abafados. Quem está operando, está em marcha lenta. O cenário, no entanto, não é 100% pessimista. O pensamento de muitas empresas já está no pós-crise.

O setor vai se recuperar, isso é certo. Resta saber, quais estragos esse furação deve causar, principalmente, no início da cadeia produtiva do ferro gusa, onde estão os produtores de carvão vegetal.

A atividade, marcada por excesso de burocracia, gera empregos e arrecada milhões de rais em impostos. É assim em Mato Grosso do Sul, por exemplo. As dificuldade, no entanto, não são pequenas. Taxas, impostos, pautas fiscais inflexíveis, morosidade dos órgãos ambientais, leis confusas, pressão ambiental, tudo isso faz parte do dia-a-dia de quem produz carvão vegetal em Mato Grosso do Sul e em todo o Brasil O governo sul-matogrossense, no entanto, sinaliza com boa vontade.

Hoje (4), o governador André Puccinelli (PMDB) anunciou que vai publicar a adequação da pauta fiscal para o carvão vegetal. O preço do produto caiu pela metade nas últimas semanas.

Furiati: "a regulamentação demorou a sair"

Após um esforço conjunto do deputado estadual Diogo Tita (PMDB), do Sindicarv (Sindicato dos Produtores e das Indústrias de Carvão Vegetal de Mato Grosso do Sul) e do Sindifer (Sindicato das Indústrias de Ferro de Minas Gerais), o governo avaliou a situação e aceitou reduzir o valor de referência para a cobrança do ICMS.

Restam outros problemas. O crédito de quem investiu em reposição florestal em 2007 não poderá ser utilizado em 2009. A lei, que regulamentou a situação em Mato Grosso do Sul, não previa prazos mais adequados à realidade. De acordo com o representante do Sindifer, Luiz Eduardo Furiati, a regulamentação demorou a sair, o que atrasou os processos para utilização dos créditos. De qualquer forma, o presidente do Sindicarv, Marcos Brito acredita que as coisas vão melhorar.

"Hoje temos uma lei, do deputado Tita, que impede que as empresas produtoras de carvão sejam multadas enquanto aguardam, caso o licenciamento ambiental não sai dentro do prazo de 60 dias", ressalta.

Marcos Brito, preocupado com o futuro do setor.

De fato, a lei - quando entrar em vigor - deve acelerar os processos de licença ambiental e para carvoejamento na Secretaria de Meio Ambiente.

video

O desafio do setor agora é destinar parte da arrecadação da TMF (Taxa de Movimentação Florestal) para o fomento florestal de pequenas e médias propriedades rurais. Hoje, parte dos recursos arrecadados são destinados aos projetos de sustentabilidade das grandes empresas consumidoras.

"Somos todos empresários. Mas daqui a seis ou sete anos, seremos, no máximo, prestadores de serviços", reclama Marcos Brito. A preocupação do sindicato é para que o setor também tenha sua sustentabilidade e haja um fomento florestal direcionado aos pequenos e médios produtores.

Marcos Brito reforça: "Não dá para deixar o setor produtivo somente na mão das grandes empresas, das siderúrgicas". As siderúrgicas instaladas em Mato Grosso do Sul devem ser as primeiras do país a alcançar a auto-suficiência em matéria-prima florestal.

sábado, 25 de outubro de 2008

As controvérsias das empresas de Eike Batista...

Resgatei uma das poucas entrevistas de Eike Batista. O empresário responde as perguntas da, não menos controversa, jornalista Miria Leitão.

Na minha opinião, ele poderia ter sido mais contundente e ter argumentado melhor. Falta conhecimento à Miria Leitão. Ele não soube aproveitar as oportunidades e os "ganchos" oferecidos por ela.

Uma correção! Quando falarem Mato Grosso, estão se referindo ao Mato Grosso do Sul.

Outro detalhe: as carvoarias multadas, mais uma vez, foram vítimas de confusa burocracia (isso em maio de 2005). Voltaremos a falar sobre isso.

sábado, 18 de outubro de 2008

Os papéis da celulose...

VCP
A Votorantim Celulose e Papel suspendeu plano para contratar linha de crédito de 1,8 bilhão de dólares que seria obtida junto ao JPMorgan na operação de fusão da empresa com a Aracruz.

ARACRUZ
A Aracruz Celulose registrou prejuízo líquido de R$ 1,569 bilhão no terceiro trimestre deste ano, contra lucro líquido de R$ 260,506 milhões no mesmo período do ano passado, pelo padrão brasileiro de contabilidade (BR Gaap).

KLABIN
O impacto da crise financeira global sobre os negócios da Klabin levou à recomendação de venda das ações da companhia pela corretora Planner. O principal dado apresentado para a revisão de projeções e preço-alvo é a queda de 1,3% na receita líquida do terceiro trimestre deste ano ante o trimestre anterior - R$ 770,2 milhões e R$ 780,3 milhões, respectivamente. Além disso, a companhia apresentou prejuízo de R$ 253 milhões no período devido à variação cambial, que acarretou R$ 381 milhões em perdas contábeis.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Os destinos da MMX em Mato Grosso do Sul...

A declaração de Eike Batista sobre uma possível paralização das operações da MMX em Corumbá (MS) incitou algumas discussões em Mato Grosso do Sul.

O mar não está para peixe e todo mundo sabe disso. Efeito da crise financeira mundial ou não, os metálicos desvalorizaram mais de 50% desde maio deste ano.

Em Minas Gerais, maior produtor de ferro gusa do Brasil, mais da metade das siderúrgicas estão paralizadas. Algumas demitindo, outras em férias coletivas.

Sumiram os clientes. Sumiram os compradores de gusa. E aí, vem o efeito bola de neve.

Sem ter para quem vender, os produtores de carvão vegetal também fazem o mesmo, paralizam.

Aliás, o preço do carvão também despencou. Há dois meses atrás, o metro cúbico era comercializado até R$ 220, hoje, mal alcança metade desse valor.

Mas voltando ao assunto. A decisão de paralizar as atividades em Mato Grosso do Sul, pode ser apenas uma estratégia da MMX a exemplo de empresas mineiras diante da retração do mercado.

Por outro lado, como a própria MMX declarou hoje em nota à imprensa, suspender temporariamente as atividades pode ser uma possibilidade caso a empresa entenda que a questão do fornecimento de carvão vegetal esteja prejudicando seu projeto de desenvolvimento sustentável no Estado.

Outras hipóteses são especulações. Existem aqueles que afirmam que a siderúrgica está sendo vendida, outros acreditam que a MMX simplesmente prefere eliminar o "problema" que pode impactar em outros negócios do grupo EBX.

Eu, sinceramente, acredito que não vai faltar carvão vegetal para nenhuma das siderúrgicas instaladas em Mato Grosso do Sul. Pelo contrário, vai até sobrar.

Por enquanto é hora de esperar a recuperação do mercado, a superação da crise com redução de custos e boa gestão.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Painel Florestal na TV...

No próximo domingo, colocamos o oitavo programa Painel Florestal no ar. Um desafio que se consolida a cada semana.

Paulo Cardoso, diretor da Painel Florestal e apresentador do programa, sempre ressalta: começa agora o primeiro programa sobre a cadeia produtiva de florestas plantadas do Brasil.

No começo, nos perguntávamos. Será que tem assunto para um programa semanal? Sim. Tem assunto. Na verdade, até para um programa diário.

Mas ainda estamos no começo. Firmando parcerias.

Pouco a pouco, o próprio setor vai se dando conta que existe uma nova opção no ar.

A cada semana, vamos aprendendo um pouco mais e levando informação para muitos que até pouco tempo, talvez não soubessem a importância dessa cadeia produtiva para o país.

E para quem ainda não assistiu, opções não faltam:
- Sintonizar o canal 36 da Net em Campo Grande (MS);
- Procurar o canal Agromix na Net de sua região;
- Sintonizar o canal Agromix na antena parabólica;
- Assistir através do site www.agromix.tv todos os dias às 10h00 (Horário de Brasília) ou aos domingos, às 11h30.
- Assistir, a qualquer momento, os programas já exibidos no portal www.painelflorestal.com.br

Já estamos preparando novos programas, inclusive com temas especiais. Tem alguma sugestão ou gostaria de fazer parte do nosso programa? Entre em contato com a gente pelo e-mail tv@painelflorestal.com.br.

sábado, 11 de outubro de 2008

Efeitos da crise...

O anúncio da VCP em adiar o plano de construção de sua fábrica no Rio Grande do Sul provavelmente está mais relacionado com a possível aquisição da Aracruz do que apenas com os efeitos da crise econômica ou ainda com a demanda mundial por celulose.

Caso a VCP concretize a aquisição da Aracruz, de fato, os planos de expansão terão que ser revistos. As duas juntas alcançariam capacidade anual de produção de 7 milhões de toneladas em 2012.

Ou seja, a prudência do Grupo Votorantim, acredito, deve evitar especulações e falsas expectativas.

É hora, primeiramente, de avaliar a aquisição da empresa comandada por Carlos Aguiar que sofre com um prejuízo de R$ 1,95 bilhões devido a operações de câmbio.

O presidente da VCP, José Luciano Penido, afirmou que isso será feito com tranqüilidade.

Depois, reajustar o "timing" e anunciar os novos planos.

De qualquer forma, o clima no setor não é dos piores. O presidente da Bracelpa, Horácio Lafer Piva, em entrevista ao programa Conta Corrente (Globo News), comentou a crise e, apesar da preocupação, está otimista.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Vídeo sobre a viagem...

Temos mais de 8 horas de imagens gravadas da viagem aos EUA e Canadá. Assistindo o material aproveito para reviver os bons momentos dessa missão.

Estamos editando a reportagem especial que irá ao ar em nosso programa de tv. Vai valer a pena assistir e conferir as máquinas em operação.

terça-feira, 30 de setembro de 2008

Expoforest...

Sem menosprezar as feiras pelo mundo afora, tenho certeza que o Brasil tem condições de sediar eventos florestais internacionais de grande porte... Em novembro, a Expoforest (www.expoforest.com.br) deve consolidar o país nesse cenário.

Algumas empresas, inclusive, estão aguardando a feira para lançar produtos no mercado sul-americano. A expectativa - percebi isso no Canadá - é grande.

De fato, a América do Sul deve aumentar sua participação no faturamento das grandes marcas de equipamentos e máquinas com presença em todo o mundo.

Um crescimento estimulado, principalmente, pelos setores de celulose e siderurgia a carvão vegetal.

O ambiente é favorável e, sem dúvida nenhuma, a Expoforest vai confirmar isso...

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Coal Valley Demo - Campo de demonstração John Deere

Um campo de demonstração com todas as máquinas florestais. Lá, além de conhecer é possível operar os equipamentos com toda a segurança e supervisão de engenheiros da fábrica de Davenport (Iowa), Estados Unidos. Coal Valley fica bem próximo da fábrica John Deere. No mesmo local, também estão as máquinas da divisão de construção civil. Fiquem com algumas imagens de nossa visita!





















sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Imagens da fábrica John Deere em Davenport (EUA)

A planta industrial de Davenport é responsável pela fabricação das cabines, feller bunchers de roda e skidders.

































quarta-feira, 24 de setembro de 2008